sábado, 12 de novembro de 2016

Quer chá?


Alice acorda desesperada, já é a terceira vez essa semana que perde o horário para ir ao trabalho.
"Será que o celular despertou e eu não escutei? Será que essa "porra" está com defeito?" - se martiriza em seus pensamentos enquanto corre para com suas atividades de rotina (meio afobadas) para poder ir a labuta.
Enquanto faz suas atividades de forma afoita e um tanto quanto mecânica faz "notas mentais" das coisas que precisam ser resolvidas: Escovar os dentes... Pentear o cabelo... Pegar o celular... Escolher algo para ir comendo dentro do carro... Inventar uma nova desculpa que justifique mais uma vez o seu atraso:

  • passou a noite do hospital com uma dor lancinante em algum órgão vital (hummm... acho que já usou essa mais de uma vez esse ano); 
  • o pneu do carro furou e não conseguiu ajuda para ser troca-lo (hummmm... muito clichê e não se enquadrava nos seus princípios feministas atribuir a fragilidade de não conseguir trocar o pneu do seu carro num tempo hábil as suas ações);
  • ajudei um cachorrinho que estava ferido na rua (bem, isso mostra que sou uma pessoa preocupada com a vida do outro, mostra responsabilidade, atribui um caráter humanitário - trabalha numa empresa que presa por esse tipo de comportamento (pelo menos usa isso em suas publicidades) e ninguém contesta muito quando o substantivo "cachorrinho" é usado numa frase. E se por ventura alguém fizer muita pergunta, quiser muitos detalhes, posso perguntar se o curioso não quer me ajudar pagar as despesas da conta do veterinário - isso sempre afasta de imediato as pessoas - Boa!!! Será o cachorrinho ferido então.
Quando sai do seu apartamento e entra no seu carro, Alice faz o retrospecto do caminho que terá que seguir em sua cabeça, tentando traçar rotas alternativas que poderão lhe garantir um minuto ou mais no seu atraso (mesmo usando o cachorrinho como desculpa - agora estava satisfeita com a historia do canino enfermo - não era bom abusar muito da sorte.

Decidiu pegar o cainho da Marginal (tem mais pistas e limite de velocidade é maior). Ledo engano... uma fila de carro faz um desenho simétrico no borbulhante transito a sua frente. Desesperada, Alice olha para o relojo do painel do carro que cintila em sua frente e  repete em voz alta (como num mantra):
_Não vai dar tempo! Não vai dar tempo! Não vai dar tempo! Tenho que que correr! Não vai dar tempo!!!

(continua)


Doces beijos Tupiniquins

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Notas mentais!



Quem sou?
De onde vim?
Onde quero chegar?
Como quero chegar?

Essas perguntas permeiam minha cabeça de época em época. Como se fosse um círculo vicioso ou aqueles sonhos estranhos que nos perseguem pela vida e que não temos uma real explicação ou solução para o mesmo.
Sou adepto a listas mentais, tento traçar objetivos e determino datas seculares para o "check list". Posso dizer para vocês que a feitura destas listas foram se transformando com o passar do tempo - e com a pratica de faze-las. Já foram listas escritas, listas digitadas, meras anotações e hoje me apazíguo sentimentalmente em guardá-las na imensidão da  minha mente... As vezes sadia outras nem tanto.
Listas me acalmam... Me fornecem a falsa segurança do controle (sim, eu sei que as vezes estou me enganando - ou quase sempre - porém, uso dessa estranha artimanha para me confortar.

Tomo a liberdade de compartilhar 3 itens dessa lista com vocês (sei que vou me arrepender disso logo depois que publicar), "but"... vamos lá:

1- viajar novamente com os meus pais e tentar ser uma pessoa mais agradável.
2- me aproximar do meu irmão.
3- diminuir minhas reclamações - entender que as pessoas também possuem suas motivações e que as vezes se chocam com as minhas, compreender, julgar menos e trazes a paz mundial (tá, exagerei... Só quero ser menos julgador).

Prazo: 3 anos.

Até mais!!!
Sex and the city Tupiniquim


terça-feira, 1 de novembro de 2016

O retorno do Sex and the city Tupiniquim!


Olá, para quem não sabe, esse que vos fala já esteve no comando de um blog (com esse mesmo título) a muitos anos atrás. Pois bem, retornei, depois de uma longa pausa (mais de 6 anos), resolvi voltar a escrever e para tal, escolhi esse meio que tanto me deu prazer e que me permitiu conhecer pessoas maravilhosas (pessoalmente e virtualmente). A "cara" do blog continua a mesma da primeira versão, meu objetivo é focar no cotidiano, ou seja, nas relações pessoas e seus derivados desse composto: amor, ódio, desejo, mentira, vaidade, conflitos, fofocas e etc.
Não sei se alguém lerá o que escrevo, essa não é exatamente a minha finalidade (mas, sei que ficaria bem feliz se isso ocorresse, afinal, sou humano e gosto do atenção!).

Então como bom moço (belo, recatado e do lar .... sqn) eu desejo a todos um "Olá, eu voltei!" e espero que todos (nossa, já estou falando no pural, imaginando uma multidão de gente lendo) sintan-se em casa. Pode tirar o sapato, pegue uma cerveja gelada e divirtam-se!!!

Beijos de luz,
Sex and the city Tupiniquim